terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Cordilheira

Esse também faz parte dos que eu li no final do ano e não postei nada no blog a respeito...

Da linha “Correndo atrás pra deixar meu blog em dia”, segue Cordilheira, de Daniel Galera.


Anita é uma jornalista escritora – mais escritora que jornalista.

Ok, Anita é uma escritora, formada em jornalismo, com todas as angústias que uma mulher de 30 e poucos anos pode ter: Um grupo seleto de grandes amigas, cada uma com seus problemas, a incerteza quanto a profissão, a vontade neurótica de ter um filho, um casamento com dúvidas...



Quando recebe um convite para lançar seu livro em Buenos Aires resolve que essa viagem vai ser sem volta, por tempo indeterminado.


Chegando lá, Anita cruza com um fã e também escritor argentino e seu grupo de amigos, cuja realidade se mistura, cada vez mais, com a ficção que cada um deles escreveu.

Sendo assim, o comportamento e as características de cada um desses amigos são peculiares.

Eu diria bizarro. E Anita vai entrando na onda.

Até aí, a história se sustenta. Mas a impressão que eu tenho é que o autor – paulistano de berço e gaúcho de criação – vai perdendo o fôlego ao longo das páginas.

Na real, o que eu mais achei legal no livro é a descrição que Galera faz de Buenos Áries – as ruas, os restaurantes e bares, cada esquina faz parte do cenário e da trama.



Conclusão: do começo para o meio do livro, eu não queria parar de ler. Da metade em diante foi perdendo a graça e eu fui perdendo a paciência.

O final não surpreende, porque o autor passa de um romance com nuances de realidade, para uma ficção sem pé nem cabeça.

Apesar disso, ganhou o Prêmio Machado de Assis de Romance e o terceiro lugar no Prêmio Jabuti na categoria Romance, em 2009.

À quem interessar, o blog dele: http://www.ranchocarne.org/


Nenhum comentário: