quinta-feira, 26 de novembro de 2009

As meninas da esquina


Fui pra Campinas e acabei deixando a biografia do Simonal lá pra minha mãe ler. É, mais um livro que eu paro no meio.
Mas esse eu com certeza vou retomar.

O bom disso é que agora eu não me divido mais e posso me dedicar inteira às Meninas da esquina.
Eliane Trindade. Com certeza vai fazer diferença pra você também.

E em maio vai virar filme. Estreia nacional dirigido por Sandra Werneck.

São Paulo


"Podem achar ridículo, mas eu amo o Fábio Jr"

Banheiro do Filial. Tem coisas que só São Paulo faz por você.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Essa tal proclamação da república


Não achei que seria tão óbvio e tão frequente ir a lançamentos de livros depois que eu virasse realmente uma jornalista.
De qualquer forma, ontem foi dia.

Edison Veiga, jornalista do Estado de São Paulo, nosso amiguinho lá do trabalho (está na lista do "pra ele eu ligo, com carinho") lançou ontem Essa tal proclamação da República, pela editora Panda.

Cheguei em casa e devorei o livro - ok, é um livro fino - e já estou quase no final.
Ele trata de um jeito bem humorado da época de Pedros, Benjamins, Duques, monarquistas e republicanos.
Nada de aula de história chata da época da escola.
É gostoso de ler e, como todo bom jornalista, Edison procurou por fatos curiosos e que não costumam ser divulgados por aí nas (mais uma vez) chatas aulas de história da época da escola.

É bom pra dar uma clareada na nossa cabeça e saber como rolou tudo isso, de onde vem o hino nacional, o hino da república e - por que não? - como o Brasil deu no que deu.

Despretencioso, o livro é irreverente, cheio de ilustrações e comentários do autor.
É leve, desses que a gente leva para a praia num feriado e depois sobe a serra com mais conteúdo na cabeça.

(Se o feriado for 15 de novembro, depois a gente finge que tem boa memória e tudo o que disse sobre o motivo do feriadão é porque lembra das chatas aulas de história da época da escola)


terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sobre a Balada

Literária:
De 19 a 20 de novembro (quinta, sexta, sábado e domingo desta semana), em vários lugares da Vila Madalena e de Pinheiros.
Imperdível.

Balada Literária reúne quase 100 artistas entre 19 e 22.11 na Vila Madalena

Nomes consagrados como Lygia Fagundes Telles, João Ubaldo Ribeiro, João Gilberto Noll, Mário Prata, Francisco Alvim e o português José Luis Peixoto encontram novos talentos, músicos, boêmios e apreciadores da literatura em programação gratuita na Vila Madalena e arredores


De 19 a 22 de novembro (quinta a domingo), a Balada Literária reúne escritores e artistas nacionais e internacionais em mesas de debate, no palco e em bares, trocando ideias e festejando lançamentos. Os bate-papos gratuitos com escritores e os shows a preços populares acontecem em espaços culturais da Vila Madalena e arredores, como Livraria da Vila, SESC Pinheiros, Biblioteca Alceu Amoroso Lima, Centro Cultural b_arco e os bares Mercearia São Pedro e Ó do Borogodó.

Pelo quarto ano, a Balada Literária propõe uma grande celebração às letras, em clima descontraído, em que o público realmente pode conhecer, reencontrar e conversar com seus autores favoritos, além de conferir shows, lançamentos e até participar de uma oficina de criação literária.

O homenageado desta edição é o escritor paulistano João Silvério Trevisan, que acaba de lançar Rei do Cheiro (Ed. Record). “Sempre fazemos um brinde a um autor vivo, que julgamos importante para o clima da Balada”, diz o escritor pernambucano Marcelino Freire, criador e organizador do evento ao lado da Livraria da Vila.

Entre os destaques da programação estão as mesas com Lygia Fagundes Telles (22.11, 14h30, na Livraria da Vila); o encontro de João Gilberto Noll com Santiago Nazarian (22.11, 11h, Livraria da Vila); o programa de TV que será gravado com os biógrafos Lira Neto (Maysa) e Fernando Morais (Paulo Coelho, Chatô, Olga, etc.) (22.11, 17h, no Centro Cultural b_arco); a conversa do escritor português José Luís Peixoto e o angolano Pepetela (19.11, 19h, SESC Pinheiros); e o bate-papo entre Xico Sá, Mário Prata, Matthew Shirts e Reinaldo Moraes, escritores boêmios que praticamente fundaram a Mercearia São Pedro, o mais literário dos bares de SP (20.11, 16h30, Livraria da Vila).

Para comemorar o Dia da Consciência Negra (20.11), será realizado o show Viva o povo brasileiro, que aproveita a data para celebrar a carreira de João Ubaldo Ribeiro. No palco do SESC Pinheiros, o jovem pianista-prodígio pernambucano Vitor Araújo recebe os cantores Fabiana Cozza e Rubi. O escritor baiano chega na Ressaca Literária, dia 29.11, às 17h, também no SESC, encerrando o evento em grande estilo.

Nas edições anteriores da Balada Literária estiveram presentes autores como Adélia Prado, Angeli, Antonio Cândido, Chico César, Cristóvão Tezza, David Toscana, Efraim Medina Reyes, Fernando Bonassi, José Luandino Vieira, José Miguel Wisnik, Luis Fernando Verissimo, Mario Bellatin, Moacyr Scliar, Paulo Lins, Sérgio Sant’Anna e Tony Belotto.

Gostou? Entra lá: www.baladaliterária.zip.net

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Balada Literária

Se você é como eu e lê até a bula, pode aposatar: Terão coisas muito mais interessantes a serem feitas nos próximos dias.


Aguarde.

100 dicas para viajar melhor


"Mãe, não fique chateada por Cuba.
O mundo é muito maior que isso.


(E nos espera)
Marina, novembro/09"

*comprei este livro do Ricardo Freire para a minha mãe, que começou a ler De Cuba, com carinho e está se remoendo com as histórias escritas por uma blogueira da pequena ilha.
Obviamente eu devorei as 100 dicas antes de escrever a dedicatória acima e embrulhar o livro.
Quanto ao livro de Yoani Sánchez, esse com certeza está na minha "lista dos próximos".

Nem vem que não tem

Algo me diz que eu vou gostar tanto desse livro, quanto a biografia do Tim Maia, de Nelson Motta.
A biografia do Simonal é de Ricardo Alexandre, editor da Época SP.
Comparações a parte, se for tão bom quanto Som e Fúria, eu conto aqui.
Se não for, eu conto o por quê.